Menu

19 de dezembro de 2013

Dias de Tormenta.

)x

     Angustia. Inquietude. Tédio. Desespero. Necessidade de silêncio e solidão. Quero pegar meu tênis, atirar na televisão e no filho da puta que a ligou, arrancando-me do meu tão necessitado sossego.
     Não consigo respirar direito e nem decidir se estou com frio ou calor... Meus pés estão gelados e meu corpo quente. Quero gritar bem alto, brigar com alguém (com direito a chutes e socos) e vomitar. Preciso chorar, mas as malditas lágrimas sumiram, secaram, evaporaram.
     Alguém me chama, mas finjo não escutar... Incrível como as pessoas parecem adivinhar o dia em que você quer se encolher (ou explodir) e decidem conversar, rir, te cutucar. Quando vejo uma pessoa quieta, na dela, eu me mantenho quieta, na minha. E é só isso que eu espero das pessoas hoje ( amanhã e, talvez, depois de amanhã), que elas me deixem em paz.
     Batem na porta. Respiro fundo, abro apenas uma fresta e digo que não quero conversar (sobre nada, com ninguém). Atitudes como essa podem magoar de alguma forma uma pessoa. Uma pessoa que, no caso, eu amo. Porém eu to tão cansada, tão sem vontade... Sinto muito, mas dessa vez não consigo nem fingir.
       Decido deitar, já que não estou com saco (cabeça) pra ninguém. Escondida pego o remédio tarja preta que o psiquiatra passou pro meu irmão dormir, tomo algumas gotas (uma boa dose). Quero capotar tão rápido que não me sobre tempo nem pra pensar.
     Expulso os cachorros do meu quarto, ignorando o meu peito se apertar diante dos olhinhos deles enquanto fecho a porta em seus focinhos.
     Rezo, só pra não me sentir pior, mas é coisa rápida: um Pai Nosso, uma Ave Maria e um "Muito obrigada pelo dia de hoje e pela minha família". Sinto muito Senhor, mas nosso bate-papo noturno (diário) vai ficar pra outra hora, outro dia. Acredito que Você (sempre me questiono se é errado chamar o Senhor de Você...) esteja soltando um suspiro de alívio. Eu tendo a ser mais animada e tagarela a noite e de madrugada do que em qualquer outro espaço de tempo do dia.
     Enfim fecho os olhos, com os dedos cruzados, torcendo pro remédio fazer efeito logo. Meus olhos ardem. Minha cabeça e estomago começam a reclamar. Não vejo a hora desse dia (ou seria semana?) chegar ao fim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...